quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Se eu Fosse um Livro

Há livros que mexem connosco, que nos chamam, que nos pedem para os folhearmos. Foi o que se passou com este livro que vos apresento. Encontrei-o na biblioteca pública José Saramago em Loures, no balcão das novidades, olhei para ele e soube que ia gostar. E não me enganei.
A dupla José Jorge Letria, e André Letria criaram, mais uma vez, uma obra visualmente poética, fazendo-nos descobrir múltiplos sentidos para a pergunta: "Se eu fosse um livro?"
"Se eu fosse um livro pediria a quem me encontrasse na rua para me levar para casa consigo."  É este o 1ºdesejo do autor. E tu? se fosses um livro como serias?
Brevemente irás ouvir falar deste livro na nossa biblioteca. Aguarda! 


segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

O dia a dia do Pai Natal com a ilustradora Eva Melhuish on PhotoPeach

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Encontro com a Escritora Fátima Éffe



Na próxima quinta-feira, pelas 10.30h, a escritora infanto-juvenil Fátima Éffe, estará na Biblioteca da Escola EB1 JI Nº2 de Monte Abrãao. A autora vem apresentar o seu livro, O vendedor de fósforos (2008) com ilustrações de Carla Nazareth.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Novo Livro da Coleção Cherub


Livros da Coleção: 1º O Recruta 2º O Traficante 3º Segurança Máxima 4º O Golpe 5º A Seita 6º Olho por Olho 7º Cães Danados 8º A Queda 9º O Sonâmbulo

Concerto Coral

Dia 13 de dezembro iremos receber o grupo coral da ARPIMA, uma associação de Reformados, pensionistas e idosos do Monte Abraão. Responderam afirmativamente ao nosso convite, e marcam presença na tarde de terça-feira na biblioteca. Estão todos convidados!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Em dezembro acontece...


Direitos Humanos

 

Esta apresentação pode ser vista também aqui:

63 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos - 1848-2011
A 10 de Dezembro de 2011, assinalam-se os 63 Anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.
Quando foi criada a Declaração Universal dos Direitos Humanos?
A Declaração Universal dos Direitos Humanos nasceu no dia 10 de Dezembro de 1948, depois de o mundo ter tomado consciência das crueldades cometidas na segunda Guerra Mundial. Entre estas estavam os crimes praticados pelos nazis, que atingiram judeus, comunistas, ciganos e homossexuais. Também as bombas atómicas lançadas pelos Estados Unidos sobre as cidades de Hiroshima e Nagasaki, mataram milhares de pessoas inocentes. De forma a garantir que tamanhas atrocidades não voltariam a ser cometidas, os Estados membros da ONU acordaram em elaborar uma Declaração para a defesa dos Direitos Humanos.
 São 30 os artigos da Declaração Universal de Direitos Humanos, nos quais estão compreendidos os direitos civis, políticos, económicos, sociais e culturais. O princípio básico desta declaração é, "Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos". Baseada neste princípio, a declaração proíbe a escravidão, a tortura e todas as formas de discriminação e violência. Também proíbe o tratamento desigual entre brancos e negros, entre homens e mulheres.
Sabemos que ainda hoje muitos desses direitos não são respeitados. Existem ainda em muitos países: torturas, assassinatos, abusos sexuais, sistemas repressivos, políticas autoritárias, prisões sem julgamento e injustiças várias. A lista de violação dos direitos humanos é extensa e abarca mais de 60 países, desde o mais pequeno ao mais poderoso. Não basta ter direitos. Os direitos precisam ser reconhecidos e aplicados.
Todos os anos se assinala a data com o objectivo de alertar os governantes e os cidadãos de todo o mundo para o cumprimento da Declaração Universal e assegurar, a igualdade de todos, o direito a uma vida digna, o direito ao trabalho e à segurança, o direito à saúde e à educação, à liberdade de opinião, ao respeito pela diversidade e pela dignidade de todas as pessoas.
                  O CRE assinala o Dia Internacional dos Direitos Humanos, no dia 9 de Dezembro, com algumas atividades:

10h- Sessão de sensibilização à temática dos Direitos Humanos no âmbito do Dia Internacional dos Direitos Humanos, com a presença de um membro da Amnistia Internacional Portuguesa, Dr. Fernando Sousa.

11.30h - Um Filme pelos Direitos Humanos- “Crianças Invisíveis”

Proposta para as aulas - A Biblioteca sugere que os professores reservem um espaço da aula para sensibilizar os alunos, para esta temática:
Será entregue a cada turma  um  folheto, com a lista simplificada  dos 30 direitos humanos e com um pouco da história desta comemoração.
Poderão utilizar o Power Point com os Direitos Humanos simplificados e ilustrados e o conto de Umberto Eco, "Os três Cosmonautas" que aborda as noções de respeito, tolerância, preconceito e paz que também disponibilizamos, aqui.


63 anos da Declaração dos Direitos Humanos


Comemora-se no dia 10 de dezembro a promulgação da Declaração Universal dos Direitos Humanos pela Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas, em 1948,  3 anos depois do final da 2ºGuerra Mundial (1939-1945. É constituída de trinta artigos, precedidos de um prólogo belíssimo e inspirador: 

"Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e dos seus direitos iguais e inalienáveis constitui o fundamento da liberdade, da justiça e da paz no mundo; 

Considerando que o desconhecimento e o desprezo dos direitos do Homem conduziram a atos de barbárie que revoltam a consciência da Humanidade e que o advento de um mundo em que os seres humanos sejam livres de falar e de crer, libertos do terror e da miséria, foi proclamado como a mais alta inspiração do Homem; 

Considerando que é essencial a proteção dos direitos do Homem através de um regime de direito, para que o Homem não seja compelido, em supremo recurso, à revolta contra a tirania e a opressão;
Considerando que é essencial encorajar o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações; 

Considerando que, na Carta, os povos das Nações Unidas proclamam, de novo, a sua fé nos direitos fundamentais do Homem, na dignidade e no valor da pessoa humana, na igualdade de direitos dos homens e das mulheres e se declaram resolvidos a favorecer o progresso social e a instaurar melhores condições de vida dentro de uma liberdade mais ampla; 

Considerando que os Estados membros se comprometeram a promover, em cooperação com a Organização das Nações Unidas, o respeito universal e efetivo dos direitos do Homem e das liberdades fundamentais; 

Considerando que uma concepção comum destes direitos e liberdades é da mais alta importância para dar plena satisfação a tal compromisso:

A Assembléia Geral proclama a presente Declaração Universal dos Direitos Humanos como ideal comum a atingir por todos os povos e todas as nações, a fim de que todos os indivíduos e todos os orgãos da sociedade, tendo-a constantemente no espírito, se esforcem, pelo ensino e pela educação, por desenvolver o respeito desses direitos e liberdades e por promover, por medidas progressivas de ordem nacional e internacional, o seu reconhecimento e a sua aplicação universais e efectivos tanto entre as populações dos próprios Estados membros como entre as dos territórios colocados sob a sua jurisdição. 

 
 “Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. 
São dotados de razão e consciência e devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.” 
Artigo 1, Declaração Universal dos Direitos do Homem das Nações Unidas

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Visita de João Pedro Mésseder

João Pedro Mésseder esteve na nossa escola, mais concretamente na nossa biblioteca. Foi uma alegria imensa conhecermos pessoalmente um escritor, que fomos descobrindo ao longo das semanas em que preparámos a sua vinda. Lemos os seus livros,  pesquisámos a sua vida e a sua obra, descobrimos os seus segredos. Pelo menos alguns. Talvez por isso nos sentimos tão bem com este autor.
Receber o escritor João Pedro Mésseder encheu-nos de alegria.
 
A sua vinda serviu de pretexto para alindarmos a nossa biblioteca e para trabalharmos em conjunto com as outras áreas curriculares. A articulação aconteceu com as Professoras de Língua Portuguesa do 2º ciclo, Maria José Alves e Helena Cunha, com as Professoras de EVT, Sandra Silva; Liliana Azevedo; Ana Morais e Lurdes Jorge. Também com a Professora de Educação Musical Filipa Pires. A todos muito obrigada. Queremos agradecer-lhes a disponibilidade, a compreensão, e o trabalho investido neste encontro. Sem ele nada teria sido possível.
Aqui ficam algumas imagens:


 A sessão teve início com a apresentação dos trabalhos realizados pelos  alunos. Os alunos do 5º I leram alguns poemas criados a partir da estrutura e da forma dos poemas do autor e os do 6ºD partilharam as ilustrações que fizeram dos poemas e da história de Amadeu, o menino que viveu uma grande aventura.
As histórias levam-nos a lugares inusitados, mágicos, irreais. Desenvolvem a nossa imaginação, criatividade e permitem-nos viver outras vidas e realidades.
Conhecer João Pedro Mésseder é conhecer um "domador de palavras", como diria o nosso patrono, o grande poeta Ruy Belo. Domar as palvras significa conhecê-las, conduzi-las, alinhá-las formando composições poéticas, criando cenários e paisagens que nos prendem, como se de um mundo à parte se tratasse.
O autor revelou-nos a sua admiração pelo poeta Ruy Belo e por Vinicius de Moraes de quem disse, e nos fez dizer alguns poemas muito musicais.
No final do encontro, a Professora Filipa Pires presenteou-nos com um poema musicado e cantado do autor. Brevemente o apresentaremos neste bloogue.
Não podemos deixar de agradecer a presença da Dr.ª Nancy Gaudêncio, a diretora do agrupamento e de Pedro Casais da Texto Editora que tornou possível este encontro.
Aqui ficam alguns fragmentos deste encontro:



Obrigada João Pedro Mésseder pela sua visita!

Partilhamos aqui as ilustrações que a turma do 6ºD criou para o livro "Histórias a Muitas Mãos" do autor.



quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Visita do escritor João Pedro Mésseder

Segunda-Feira, dia 5 de Dezembro vamos receber um convidado na biblioteca.  O escritor João Pedro Mésseder vem à nossa escola, para um encontro com duas turmas, o 5ºI e o 6ºD.
Os alunos têm estado a preparar alguns trabalhos, com base em dois livros do autor: Versos e Reversos e História a Muitas Mãos. A receção ao autor está a ser preparada  num trabalho articulado entre a biblioteca e os professores de Língua Portuguesa, Estudo Acompanhado, Educação Tecnológica e  Educação Musical.
Aqui fica o  cartaz:

Mas quem é João Pedro Mésseder?

Livros trabalhados pelos alunos:

 Alguns dos seus livros:






LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...