terça-feira, 19 de março de 2019

CONCURSO LITERACIA 3D- APURADOS



É com muito orgulho que divulgamos os nomes dos alunos que irão representar o agrupamento neste concurso nacional.
Os alunos dos 5º, 6.º e 7.º anos participaram no concurso LITERACIA 3D – o desafio pelo conhecimento, promovido pela Porto Editora, nas áreas da literacia da Leitura, da Ciência e da Matemática. Trata-se de um desafio nacional dirigido aos alunos dos 2.º e 3.º ciclos do Ensino Básico de todo o país, com o propósito de avaliarem as suas competências em quatro dimensões do saber: leitura, matemática, ciência e línguas.
A primeira fase do desafio nacional selecionou os alunos com melhores desempenhos nestas provas.
Após a divulgação dos resultados da primeira fase, os alunos apurados para representar o Agrupamento de Escolas Ruy Belo, na segunda fase, a nível distrital, são os seguintes:
LITERACIA DA LEITURA - Rúben Borges Esperto - 7ºE
LITERACIA DA CIÊNCIA - João Passinhas e Bruno Santos do 6ºD
LITERACIA MATEMÁTICA - Lara Ferreira do 5ºA
Parabéns a todos. Felicitamos igualmente os professores dos alunos apurados: Prof. Lara Cunha de Português, Prof. Cristina Vigário de Ciências e Prof. Diamantina Nunes de Matemática.
A competição prossegue para o nível distrital, que terá lugar já amanhã dia 20 de março em Lisboa, sendo então apurados os alunos com os melhores resultados por distrito. A terceira e última fase constitui-se como a grande final, que se realizará no 3.º período e na qual serão encontrados os vencedores do desafio LITERACIA 3D.

domingo, 17 de março de 2019

Corações Com Coroa na Ruy Belo – uma experiência impactante

“A Associação Corações Com Coroa é uma associação sem fins lucrativos e Organização Não Governamental para o Desenvolvimento (ONGD).”
“CCC vai à Escola” é um projeto artístico-pedagógico que agendámos para as quatro turmas do 9ºano, por sugestão do professor Gilberto Nunes.
Sabíamos que consistia numa peça de teatro a ser apresentada em contexto de sala de aula. Mas o que presenciamos foi muito mais do que seria expetável.
Sentados nos seus lugares os alunos esperavam. Sabiam que algo ia acontecer, sabiam que havia uma jovem sentada na sala que não pertencia à turma. Estivemos em silêncio, lançando olhares cúmplices. De repente um rapaz de camisa aos quadrados e mochila e às costas entra pela sala e começa a interagir baixinho com os colegas da fila onde se sentou. E de repente os dois jovens atores levantam-se e começam a contar a “sua” história de amor. Com uma carga emocional muito forte, com silêncios e afetos fomos acompanhando aquela história de um amor novo em descoberta. E sabemos, antevemos a violência que irrompe, as ameaças, as suspeições, o controle que se instala naquela relação. E presenciamos as diversas formas que a violência no namoro assume, mas todas com o propósito de magoar, humilhar, controlar e assustar. O grande objetivo é dominar e ter mais poder do que a outra pessoa envolvida na relação.
A peça de teatro pretende promover a reflexão acerca de questões existentes no quotidiano escolar, a violência no namoro, a gravidez adolescente, a contracepção, o bullying e o cyberbullying. E é totalmente conseguido.
Esta interação deste “casal de namorados” ao vivo permite que os alunos se identifiquem com as personagens e se aproximem da sua realidade, da sua linguagem e mais facilmente se apercebam que há limites ao amor.
Queremos felicitar os autores envolvidos que fizeram um trabalho espetacular, comprometido, envolvido, talentoso. Muitos parabéns aos dois pares de autores que connosco estiveram com tanta generosidade e dedicação. Conseguimos sentir cada emoção, cada palavra, cada gesto, cada grito. Sentimos a mão que agride, mas também o gesto que consola que acolhe e cuida. E ficámos felizes quando no final se adivinha que existe alguma esperança para aquele amor. Nós gostamos de histórias de amor com um final feliz.
Pretende-se passar uma mensagem forte para a não aceitação da violência. Esse não é um caminho.
No final da peça os alunos são convidados a refletir sobre a questão da violência e do desrespeito nas relações afetivas e a tomar consciência dos direitos de cada um num universo ainda “machista”. Essa dinâmica é liderada por uma técnica da CCC, a Drª Luísa Lemos que tão bem dirige a reflexão. Uma oportunidade para a tomada de consciência e quem sabe contribuir para prevenir/quebrar a violência.
Queremos agradecer à instituição CCC, esta parceria e felicitá-los por este projeto que representa uma mais valia para a escola no desenvolvimento das temáticas da Educação para a Cidadania e para Educação para a Igualdade de Género e para a não-violência.
Muito obrigada!

domingo, 10 de março de 2019

MEMÓRIAS POR PARTILHAR – NATAL 2018

“O todo é maior que a soma das partes”
Trazer à luz, tornar visível.
Os momentos festivos nas escolas são oportunidades para fortalecer laços entre a comunidade escolar. São estes momentos de festa comum, de trabalho em equipa que nos abrem caminhos de proximidade e cumplicidade. Obrigam-nos a “levantar os olhos que trazemos fixos” no nosso quotidiano, presos às nossas rotinas individuais e a erguê-los (aos olhos) para os outros, os que se sentam connosco na mesma casa comum que é a escola. Partilhar o resultado do trabalho que cada um desenvolveu com os seus alunos, pensar e refletir de braço dado, montar e desmontar, ter brio, sentir orgulho, acreditar que é possível fazer a festa.

 São estas semanas que nos impelem a fazer mais e melhor para que esta casa comum que é a escola não seja um deserto, mas uma planície de oportunidades onde cabem todas as coisas que vamos construindo com os nossos alunos. Eles caminham ao ritmo do nosso entusiasmo, da nossa verdade e do nosso acreditar. Foi assim a nossa semana.

Durante os preparativos há uma azáfama muito própria, alunos e professores que chegam mais cedo e que ficam até mais tarde, a montar, a construir “aquela exposição” “aquele painel” que todos pretendem que tenha impacto. Respira-se uma saudável concorrência onde cada um se compromete com o seu papel que irá fundir no todo.
As partes fazem o todo, mas sabemos já que “o todo é maior que a soma das partes”.  Significa que: "A+B" não é simplesmente "A+B", mas sim um terceiro elemento denominado "C", que congrega características próprias". (Gestalt)

São partes desconexas, mas que depois ganham significados próprios.

Mais uma vez o agrupamento Ruy Belo esteve em festa. Ao longo da última semana letiva de dezembro cada um dos 1600 alunos teve oportunidade de vivenciar, partilhar e aprender de um modo diferente do habitual. Sob o mote” Vamos celebrar o natal” viveram-se momentos únicos.
A “Aldeia  Natal”, na EB1 Monte Abraão cada turma foi convidada a participar com uma atuação, uma coreografia, uma exposição colaborativa, reunindo os trabalhos das turmas, um jogo de pista, um conto na biblioteca contado pelos pais, com recurso a personagens tradicionais.
A escola alindou-se com trabalhos magníficos e com uma feirinha de Natal já habitual nesta escola. Teve a colaboração dos EE.
Na sexta feira, 14 de dezembro a EB1 Monte Abraão 2 festejou a quadra com canções e tradições natalícias do mundo e com exposições integrando trabalhos realizados com a colaboração das famílias. “A escola estava linda” nas palavras da coordenadora do estabelecimento, a professora Isabel Ferreira.
Na escola sede os alunos participaram ao longo da semana em sessões de leitura na biblioteca. Todas as turmas, à exceção dos nonos anos, vieram num horário definido à biblioteca. E claro que o tema foi o Natal: canções, contos e lendas de Natal, anedotas, adivinhas, um desejo de Natal que foi colocado em caixinhas que juntas formavam uma árvore de Natal. Os alunos receberam um conto e uma carta para oferecerem e lerem com e para os pais. No final partilhámos uma fatia de bolo, generosamente oferecido pela direção.
Na quinta feira as atividades letivas foram substituídas por assembleias de turma, onde os alunos tiveram oportunidade de reflectir com os seus pares temas que versavam as várias dimensões do Perfil do Aluno.
Estamos empenhados em proporcionar momentos reflexivos no sentido de desenvolver competências cívicas humanistas e de cidadania em toda a comunidade escolar. Refletes tu! Refletimos nós!
Assistimos ao hastear da bandeira Eco escolas com a presença do grupo de alunos e professores que juntamente com a sua coordenadora, a Professora Helena Moita de Deus dinamiza as ações nesta área. Estiveram presentes os representantes da Câmara de Sintra, da Junta de Freguesia, da Polícia, da Criagente e outras entidades que quiseram acompanhar o momento. A todos agradecemos. A bandeira foi hasteada ao som de música do grupo coral dirigido pela Professora Paula Mourato.
A tarde contou ainda com uma apresentação pública para os EE de um conjunto de canções tradicionais de Natal pelo mesmo grupo coral da escola – 2ºciclo dirigido pela professora Paula Mourato. E que bem que cantaram os nossos alunos! Parabéns a todos.
Da parte da tarde as salas de aula transformaram-se em salas de cinema que projetaram um conjunto de filmes seleccionados para cada ano de escolaridade.
A semana terminou em grande com a visita às exposições dinamizadas pelos vários Departamentos.
Enquanto no PAVILHÃO DAS HUMANIDADES decorriam as Olimpíadas das Ciências Sociais e Humanas e se podia visualizar trabalhos muito criativos onde se integravam as rosas dos ventos, maquetes que retratavam várias épocas da nossa história, na SALA DAS LÍNGUAS apreciavam-se coloridos postais de Natal em diversas línguas ao som de música ambiente e degustação de bolinhos e chá.
Na SALA DE ARTES fomos surpreendidos com uma cena natalícia em que não faltou a tradicional lareira, muita neve e pais natais de todos os tamanhos e feitios.
O último piso do pavilhão A acolheu uma exposição sobre alimentação e trabalhos realizados no âmbito de Oficina de Projetos bem como diversos Jogos Matemáticos e um Laboratório de Ciência à espera dos cientistas.
Nestes dias, todas as turmas acompanhadas pelos Professores, para além de visitarem as exposições, participaram nos jogos propostos pelas várias disciplinas, assistiram a filmes, refletiram sobre um tema proposto, e elaboraram um slogan alusivo ao mesmo.
Foi uma semana que contou com o empenho de toda a nossa comunidade escolar.
A equipa do PAA está de novo de parabéns, as professoras, Ana Sousa, Ana Candeias, Inês Almeida e Fátima Ramos. O vosso trabalho de planificação e de estruturação de toda a semana merece destaque e reconhecimento. Foi uma tarefa avassaladora gerir atividades para 29 turmas, cerca de 70 professores, todos os funcionários, 15 exposições em 4 espaços, 9 atividades diversas, 5 concursos (Palavras Proibidas e Olimpíadas das Ciências Sociais), 1 sala de experiências (Cientistas à solta), 1 sala de jogos – Matemática, 1 sala da Educação Especial - Ser deficiente... Como é?.
Quisemos hoje recordar esta semana bonita, porque consideramos que o trabalho realizado merece ser divulgado, porque nos apeteceu recordar alguns momentos em que fomos felizes e fizemos uma festa comum. 2018 acabou em beleza.




quinta-feira, 7 de março de 2019

DESFILE CARNAVALESCO NA RUY BELO

Foi uma festa muito bonita.
No passado dia 1 de março, sexta feira, bem cedinho começaram os preparativos. Quando me sentei na mesa do júri para assistir e votar nos candidatos não podia prever a dimensão do que viria a seguir-se. Superou todas as minhas expectativas. Foi um evento muito feliz.
Como elementos do júri faziam parte, o presidente da União das Freguesias de Massamá e Monte Abraão, Dr. Pedro Brás, o presidente da assembleia da Junta, Manuel Agostinho Lourenço Marques, o representante da Associação de Pais, Carlos Saldanha, a subdiretora Ana Lúcia Ferraz, o representante do Clube Motard “Foge com elas”, um representante dos alunos, uma representante das assistentes operacionais, D. Perpétua e um convidado especial, o voluntário da Biblioteca, Bruno Barreiros. A todos o nosso agradecimento.
Importa ainda deixar mais alguns agradecimentos. Em primeiro lugar ao grupo que organizou o evento, a equipa do PAA. Uma palavra muito especial de reconhecimento pelo trabalho extraordinário desenvolvido por esta equipa coordenada pela professora Ana Sousa. Planear, refletir, pensar nos pormenores, reunir, executar, são ações que implicam muitas horas de trabalho, de preocupações, de resolução de desafios e superação de constrangimentos. Parabéns Ana Sousa, Ana Candeias, Inês Almeida e Fátima Ramos. O vosso entusiasmo, o vosso empenho contagia-nos. Estamos convosco!
Para as nossas queridas auxiliares de ação educativa e técnica da secretaria o nosso muito obrigado! A festa foi vossa! A passadeira vermelha encheu-se de brilho, de dignidade à vossa passagem, D. Paula Gomes, D. São, D. Marisa, D. Anabela, D. Guilhermina, D. Paula Luz, D. Perpétua, D. Sónia, D. Maria.
A vossa presença fez toda a diferença e encheu-nos de orgulho. Temos, já o disse muitas vezes, as melhores e maiores assistentes operacionais. Não há escola como a nossa!
É de louvar o vosso empenho, a vossa criatividade, a vossa energia, a vossa alegria o vosso compromisso com a escola. São um exemplo para toda a comunidade escolar.
A senhora Diretora, Nancy Gaudêncio fez, no final um emocionado agradecimento aos participantes e organizadores. E fez todo o sentido.
Partilhamos as fotografias que exemplificam bem o desfile. Centremo-nos no desfile das assistentes operacionais, as fotos dos alunos ainda não as podemos partilhar. Agradecemos ainda à professora Rita Morgadinho muitas das fotografias que partilhamos ( as que têm maior qualidade), e à Raquel e à Anabela do GAAF que ajudaram a documentar este momento.
Uma saudação especial a todos os elementos do GAAF, Anabela, Raquel, Mariana e Pedro, a vossa dedicação e disponibilidade em apoiar e colaborar é meritória.
Uma palavra final aos “Padrinhos” alunos e alunas que souberam corresponder ao desafio que a professora Ana Sousa lhes fez. O trabalho de apoio, de apresentação do evento, de acompanhamento aos alunos, de montagem da sala, de arrumação e limpeza no final foi 5 estrelas.
Uma palavra final à professora Filipa Pires que foi a responsável pela música que contextualizava os “modelitos”.
Felicito os organizadores e todos os que de alguma maneira contribuíram para esta festa. Mais fotografias no facebook:https://www.facebook.com/teresa.sobral1/media_set?set=a.2384463578230634&type=3

Adicionar legenda

terça-feira, 5 de março de 2019

CONVERSAS COM PAIS - 1 de março

Nos últimos anos temos tentado promover regularmente encontros com pais. Acreditamos que faz parte da nossa missão como escola tornar os nossos pais mais informados, mais confiantes, mais integrados por forma a educarem melhor.
Num ambiente que se pretende descontraído e informal procuramos criar momentos que possibilitam uma reflexão conjunta e a partilha de experiências e dificuldades.
O ato de educar está carregadinho de dúvidas e receios e possibilitar uma interação entre os pais e os especialistas que convidamos, nas mais diversas áreas de interesse, parece fazer sentido. São encontros, por vezes bastante participados, outras vezes menos, como foi o caso deste, onde se discutem temas tendo como ponto de partida a experiência e as preocupações dos pais.
E temo-lo feito a par com sessões que dinamizamos com os filhos.
Fevereiro foi o mês em que se assinalou o tema da Internet segura e agendámos encontros com alunos para os sensibilizar e comprometer com alguns comportamentos a adotar e outros a evitar, por forma a uma utilização mais segura e responsável. Também quisemos convidar os pais e passar algumas reflexões.
Como especialistas da área, para nos ajudarem nesta tarefa convidámos a Drª Cláudia Manata e a escritora Raquel Palermo a quem muito agradecemos. Apresentaram-nos os resultados do último inquérito EU Kids Online. “Quatro em cada cinco internautas portugueses entre os 9 e os 17 anos usa a internet todos os dias para ouvir música e ver vídeos e três em cada quatro usa-a diariamente para se comunicar com amigos e familiares. Neste ambiente de oportunidades, o reverso também existe: 23 por cento assinalam terem vivido no último ano situações na internet que incomodaram e perturbaram.
A experiência do cyberbullying, a que mais incomoda, ou a exposição crescente a conteúdos negativos - como incitação à anorexia ou a mensagens de ódio - são algumas das situações de risco analisadas. A estas juntam-se novos constrangimentos, como o sharenting, as práticas crescentes de pais que partilham imagens dos filhos nas redes sociais sem o seu consentimento.”
Pela terceira vez, a dinamização e organização deste evento resultou de um trabalho conjunto das bibliotecas escolares de dois agrupamentos de escolas: Agrupamento de Escolas QUELUZ-BELAS e Agrupamento de Escolas RUY BELO.
Enquanto se conversava com os pais, as crianças foram encaminhadas para outra sala onde puderam participar em atividades práticas/experimentais. Nestas atividades foram acompanhados pelos alunos monitores do Agrupamento de Escolas QUELUZ-BELAS e pela professora Fátima Pina, Coordenadora Interconcelhia da Rede de Bibliotecas Escolares. Foi grande o entusiasmo.
Agradecemos à Drª Cláudia Manata e à escritora Raquel Palermo a disponibilidade e generosidade em participarem e dinamizarem este encontro, aos alunos monitores, aos professores presentes, Paula Gaspar, Isabel Aradas às auxiliares de educação. A todos agradecemos a presença e o apoio. E claro à professora Fátima Pina com quem tivemos o gosto de articular, mais uma vez. Tudo teve mais sentido nesta dinamização partilhada.
Contámos ainda com o apoio da Câmara Municipal de Sintra que disponibilizou o espaço e da equipa da Biblioteca Municipal Ruy Belo que apoiou o evento. Muito obrigada.
Os pais e EE presentes partilharam as suas dúvidas e gerou-se uma conversa muito animada e esclarecedora.
No final ainda houve tempo para degustar uns bolinhos com todos os participantes.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

CONVERSAS COM PAIS


As Bibliotecas Escolares dos Agrupamentos de Escolas: Ruy Belo E Queluz-Belas têm a honra de convidar todos os pais e encarregados de educação a participarem numa sessão intitulada: “O TEMPO QUE AS CRIANÇAS/JOVENS PASSAM ONLINE. O QUE PODEM OS PAIS FAZER?”
Realizar-se-á no dia 1 DE MARÇO, na Biblioteca Municipal Ruy Belo – Pólo do Pendão, situada na Av. Miguel Bombarda nº 70, em Queluz, com início às 18:00h.
Contará com a participação da coordenadora das Bibliotecas Municipais do Concelho de Sintra, dos professores bibliotecários dos agrupamentos de escolas envolvidas e das escritoras Cláudia Manata e Raquel Palermo que dinamizarão a sessão. No final proceder-se-á à apresentação do livro” Alerta Premika! Risco Online detetado- Ameaça nas redes sociais!” para pais e filhos.
Será abordada a relação das crianças com as redes sociais e as vantagens e ameaças da Internet. Gostaríamos de contar com a sua presença. 

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

OS DESAFIOS DA PROFESSORA SANDRA GANTE OU A ARTE DE CRIAR, DESAFIAR E ACREDITAR.



Quando entramos numa escola do primeiro ciclo sentimos que ali se passam muitas coisas bonitas. Em cada canto o olhar descobre um elemento criativo, um painel de muitas cores e formas, uma árvore decorada, uma porta que se abre para um mundo cheio de cantos e recantos, numa organização que não percebemos na totalidade. Percebemos que ali há uma forma de funcionar que é diferente da dinâmica do 2º ou 3ºciclo.
Tudo começa ali. Nós devemos muito a estes professores. Foram eles que nos ensinaram a olhar e a perceber o mundo, a intervir crítica e responsavelmente. Sabemos disso. Percebemos a relevância deste ciclo de ensino na vida futura dos alunos, percebemos o impacto do trabalho destes professores na prevenção do insucesso e do abandono escolar. Percebemos que aquele lugar, do primeiro ciclo e do pré-escolar, é muito importante.
E foi num dia de visita à Escola nº1 do Monte Abraão que me confrontei com os “desafios” da coordenadora de escola, a professora Sandra Gante, que não posso deixar de partilhar aqui, quer pelo envolvimento da comunidade quer pela qualidade dos trabalhos que presenciei.
A professora Sandra Gante é uma "criativa", uma pessoa “fora da caixa” como agora se diz. Professora por convicção e emoção, mestre em teatro assumiu este ano a coordenação da escola. Mas este facto não lhe roubou a energia necessária para continuar a “fazer coisas”.
Chamou-lhe “Desafios” e são dirigidos preferencialmente aos alunos. Depois envolvem os pais e encarregados de educação, os professores, a biblioteca. No final há o envolvimento de todos num trabalho conjunto e colaborante digno de registo.
As regras são sempre as mesmas e foram passadas assim aos alunos:
1. O desafio inicia-se às segundas feiras. Procura-o
2. O desafio celebra sempre uma data importante. Descobre-a.
3. O desafio implica sempre alguma investigação. Investiga-a.
4. O desafio pode ser resolvido por ti ou por um grupo de amigos ou em família. Partilha-o
5. O desafio deve ser entregue às sextas feiras na coordenação da escola. Entrega-o
6. Desafia-te. Os resultados de um desafio são sempre surpreendentes. Surpreende-te.
Infelizmente não posso mostrar o rosto da professora Sandra, nem os seus olhos verdes, nem o seu cabelo cor de fogo, mas se a quiserem conhecer ela está todos os dias às 9h da manhã na porta da escola a acolher os seus meninos. Ela é um dos rostos da Ruy Belo. Parabéns a todos! Gostei muito!

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

QUANDO O (N) AMOR(O) NÃO É PERFEITO


Ao longo desta semana de fevereiro, em que se assinala o Dia dos Namorados irão decorrer sessões de sensibilização/prevenção a que intitulámos “Quando o (N)amor(o) é Imperfeito”. Vamos refletir com as turmas dos oitavos e nonos anos sobre a questão da violência e do desrespeito nas relações afetivas. A violência no namoro não é um fenómeno raro e assume diversas formas, mas todas com o mesmo propósito: magoar, humilhar, controlar e assustar. 

De acordo com a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), “a violência no namoro pode ser definida como um ato de violência, pontual ou contínua, cometida por um dos namorados (ou ambos), com o objetivo de controlar, dominar e ter mais poder do que a outra pessoa envolvida na relação.”
“Se alguém te agride, se alguém te humilha, se alguém te controla, se alguém te isola dos amigos, isso não é amor, é violência”. Campanha do IPDJ 2016

Insultar, agredir, proibir, ameaçar e perseguir são comportamentos violentos que para muitos jovens são tolerados, legitimados e até entendidos como demonstrações normais de amor e carinho. Para a justiça são crimes que devem ser denunciados.
Convidámos a APAV, a Associação Corações com Coroa e a Escola Segura para nos ajudarem nesta tarefa. A todos agradecemos.



Para nós, pais e educadores, surpreende-nos e preocupa-nos a banalização dos atos de violência entre jovens e concretamente a violência no namoro. Como é possível que rapazes e raparigas, se submetam e aceitem relações humilhantes com chantagens, abusos e agressões físicas e psicológicas?
Como é possível que aceitem e compactuem com comportamentos violentos? Que aceitem e não reconheçam como abuso, o controle das mensagens do telemóvel/facebook, as cenas obsessivas de ciúme, o impedimento de contatar com amigos, o desrespeito pelas opiniões e decisões e legitimem mesmo a violência psicológica, mantendo-se em relações pouco dignas.
Pareceu-nos pertinente para além de sermos arrastados numa onda comercial dos presentinhos para “os mais que tudo”, refletir sobre o que é e o que não é amor, o que nos move quando iniciamos uma relação afetiva, os primeiros sinais de abusos e sinais de violência no namoro, as suas diferentes formas, os sentimentos da vítima e muito importante, o que fazer em caso de violência, terminar uma relação violenta, onde procurar ajuda e aprender a denunciar situações.
 Em 2016, a Universidade do Minho inquiriu cinco mil jovens e concluiu que uma em cada quatro relações de namoro era marcada pela violência, 18% confessaram que foram vítimas de comportamentos físicos agressivos, quase 7% sofreram murros, sovas ou pontapés.
 “E se estes comportamentos se perpetuarem no futuro? Existe uma forte probabilidade dos agressores continuarem a agredir quando são adultos e de as vítimas nunca se libertarem do papel de vítimas, mantendo assim uma cultura de violência entre homens e mulheres que sabemos todos como termina.” Maria João Pratt
Por isso é tão importante fazer prevenção nas escolas, ensinar às crianças noções básicas de respeito, igualdade.



Deixamos aqui alguns exemplos:

VIOLÊNCIA FÍSICA
Por exemplo, quando o(a) namorado(a):
empurra;
agarra ou prende;
* atira objetos ao outro;
* dá bofetadas, pontapés e/ou murros;
* ameaça usar a força física ou a agressão.

VIOLÊNCIA SEXUAL
Por exemplo, quando o(a) namorado(a):
* obriga o outro a praticar atos sexuais, mesmo quando aquele diz «não»;
* acaricia o outro (ou força carícias), sem que aquele queira.
Violência verbal
Por exemplo, quando o(a) namorada(o):
* chama nomes ao outro e/ou grita;
* humilha o outro, através de críticas e comentários negativos;
* intimida e ameaça o outro.

VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA
Por exemplo, quando o(a) namorado(a):
* parte ou estraga objetos ou roupa do outro;
* controla a maneira de vestir do outro;
* controla o que o outro faz nos tempos livres e ao longo do dia;
* telefona constantemente ou envia mensagens;
* ameaça terminar a relação como estratégia de manipulação.

VIOLÊNCIA SOCIAL
Por exemplo, quando o(a) namorado(a):
* humilha, envergonha ou tenta denegrir a imagem do outro em público, especialmente junto de familiares e amigos;
* mexe, sem consentimento, no telemóvel, nas contas de correio eletrónico ou na conta de Facebook do outro;
* proíbe o outro de conviver com os amigos e/ou com a família.

Programa "E se fosse consigo'?" - SIC

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

A Ruy Belo está de parabéns!


Num universo de 100 alunos representantes das escolas do Município de Sintra, os alunos que participaram no Concurso Nacional de Leitura em representação do agrupamento Ruy Belo trouxeram dois prémios de finalistas para a fase intermunicipal da área metropolitana de Lisboa.
Os alunos JOÃO NOBRE e EDGAR GASPARYAN, ambos do 2ºciclo conseguiram vencer mais este desafio e fortam apurados para a fase seguinte. Obtiveram uma classificação excelente e destacaram-se num grupo numeroso. Estão de parabéns! Felicitamos igualmente os seus professores de português, a  Professora Teresa Carvalho, a Professora Olga Saúde, a Professora Lurdes Carvalho, a Professora Fátima Pereira e todos os professores que ao longo do percurso destes alunos contribuíram para o seu desempenho. Uma palavra de apreço aos seus familiares que os apoiaram neste desafio.  
Queremos ainda destacar e felicitar os outros alunos que foram igualmente representar o agrupamento e cuja prestação foi excelente:
1ºciclo- MILENE SOFIA SILVA GUERREIRO E LEANDRO FILIPE GONÇALVES DIAS da EB1/JI MONTE ABRAÃO;
3ºciclo - PEDRO SANTOS e MARTIM VAIRINHOS da EB 23 RUY BELO.
Todos eles são merecedores de reconhecimento pelo seu empenho e dedicação. Os seus resultados nas provas são evidência disso mesmo.
Uma palavra de agradecimento aos dinamizadores deste evento realçando a organização e o dinamismo do mesmo possibilitando a todos os participantes uma experiência muito enriquecedora.
Mas os prémios não ficaram por aqui, ainda conseguimos um terceiro prémio. Na Competição de Cultura Geral em que participaram professores e alunos, o professor bibliotecário Delfim Carvalho obteve a melhor classificação tendo sido premido com o livro "O Paraíso" de Paula de Sousa Lima. Muitos parabéns Delfim!
O CNL pretende estimular a prática da leitura e avaliar a leitura de obras literárias entre os alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico ao Ensino Secundário.
O concurso, é organizado pelo Plano Nacional de Leitura, em articulação com a Rede Bibliotecas Escolares, a Direção Geral do Livro, dos Arquivos e Bibliotecas, o Instituto CAMÕES, Instituto da Cooperação e da Língua, a Direção Geral da Administração Escolar e a RTP.




quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

SEMANA DA INTERNET SEGURA - 2019




5 de fevereiro, assinalou-se o Dia da Internet Segura, iniciativa europeia que se comemora em Portugal e se alarga a todo o mês de fevereiro.
Pretende-se promover um uso seguro e consciente das tecnologias digitais. O tema central deste ano é: JUNTOS POR UMA INTERNET MELHOR.  É o mote para propor uma utilização  mais segura da Internet.
 Desde muito cedo crianças e jovens estão rodeados por tecnologias digitais, oferecendo-lhes um enorme conjunto de possibilidades, tudo ao alcance de um click.
A velocidade da comunicação e a facilidade de acesso e produção de informação suscitam preocupações relacionadas com a segurança de dados online e com a vulnerabilidade de camadas de população expostas a maiores riscos. 
A utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) tem transformado profundamente a maneira como as pessoas vivem – como aprendem, trabalham, ocupam os tempos livres e interagem, tanto nas relações pessoais como com as organizações.
Neste sentido, a Fundação para a Ciência e Tecnologia alerta:
Para os Jovens e Crianças: Podem contribuir com uma navegação ainda mais segura respeitando os outros utilizadores online, protegendo a vossa privacidade e fazendo partilhas de conteúdos positivos online.
Para os Pais: Apoie os seus filhos na navegação da Internet: O diálogo recorrente e a sua presença na utilização das novas tecnologias permitirá que os seus filhos se sintam mais confiantes em partilhar consigo possíveis desafios que enfrentem online.
Para os Educadores/Professores: A educação para uma navegação mais segura na Internet é essencial. Proporcionar aptidões de literacia digital e um sentido crítico de utilização contribui para beneficiar das imensas oportunidades que a Internet e a tecnologia nos oferecem.
Deixamos aqui vários links onde pais, alunos e professores poderão ter acesso a mais informação sobre o tema da segurança na Internet.

Recursos:
Net Com Consciência - conjunto de vídeos dedicados ao público juvenil e que aborda temas como o cyberbulling, sexting, privacidade online e muitos outros temas tecnológicos. No total, são dez episódios que caracterizam os comportamentos online mais frequentes entre os jovens e os riscos a que estes estão expostos se não fizerem uma utilização responsável da Internet e das tecnologias.



Apesar de ser um meio versátil e uma fonte de inesgotáveis recursos, a internet apresenta alguns perigos associados. Para poderes aproveitar ao máximo tudo o que a internet tem para te oferecer é preciso que respeites as REGRAS básicas de segurança.

 1. AVALIO O TEMPO QUE ESTOU ON LINE. 
Propomos-te que reflitas sobre o tempo que passas ligado à Internet. Será que é demasiado? A internet pode causar dependência.
Deixamos-te um vídeo inspirador:






2. Protejo as minhas informações pessoais
Não corras riscos! Quando estiveres a navegar na internet, não divulgues a ninguém o teu nome verdadeiro, o número de telefone, a morada da tua casa ou outra informação pessoal. Se não falas com estranhos na rua porquê fazê-lo na internet? Não corras riscos!
Pensa duas vezes antes de publicares fotografias, textos ou vídeos na internet ou por e-mail. Lembra-te de que muitas pessoas irão ver essa informação. Não publiques fotos que incluam amigos sem lhes pedires permissão.
Não partilhes as tuas palavras passe com ninguém, elas devem ser pessoais e intransmissíveis. Muda a tua palavra com frequência. Proteger estas informações é o primeiro passo para te manteres seguro.






3—COMUNICO EM SEGURANÇA
Se falas na Internet, tem cuidado com as pessoas que não conheces. Quem está do outro lado pode fingir ser outra pessoa. Por isso nunca deves encontrar-te com alguém que conheceste online. Se insistirem nesses encontros fala com os teus pais ou com o professor.




 

4—Respeito os outros
As regras do bom comportamento que deves seguir na vida real são as mesmas quando estás na Internet. Quando estiveres on line não faças nada que possa magoar ou aborrecer outras pessoas.




Põe-te à prova. Responde a este questionário on line. 


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...